Bem vindo ao seu portal lusófono de Energia Livre e Ciência Alternativa!
NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK - Curta e divulgue!
NOSSO CANAL NO YOUTUBE - Inscreva-se
SIGA-NOS NO TWEETER @EnergiaLivreBR
Entre em contato com o autor por e-mail
Participe da pesquisa de Energia Livre no grupo.
Para seguir o blog por e-mail, RSS ou Blogger role até o pé da página.
Na aba direita você encontra os links que abrirão as portas do universo da Energia Livre.
Boa viagem!!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Medicar para controlar


Já vinhamos criticando a psiquiatria, ciência que vem abusando de suas "certezas" com o risco de criar uma geração de viciados em suas drogas sintéticas. Esta ciência revela-se extremamente preconceituosa ao categorizar as pessoas de acordo com um suposto comportamento dito "normal", e assim tolhe a liberdade de cada um ser o que é. Compartilhamos aqui uma excelente entrevista da Revista Fórum sobre o assunto.

Medicar para controlar

“Fórum Sobre Medicalização da Educação e Sociedade” exalta a importância de questionamentos e discussões sobre os diagnósticos precoces e massivos dentro das escolas e propõe a valorização da diversidade humana

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Ignis - O Projeto de Energia Livre Open Source da juventude brasileira

Caros leitores,


Recentemente entrei em contato com o Diego Sangiorgi, e temos trocado algumas idéias acerca do Projeto Ignis. O Ignis é bastante complexo, mistura giroscópios, bobinas com campos eletromagnéticos de geometrias exóticas, conceitos fullerianos de sintropia, tensegridade, biomimética e o vector equilibrium, a dinâmica do Torus, motores pulsados (como é o caso do Keppe Motor e do Bedini) e ressonância. É um projeto colaborativo, Open Source e com financiamento coletivo através do Catarse. O Diego é um jovem de extrema inteligência e talento, e me parece uma pessoa honesta e muito bem intencionada. CONTRIBUA AQUI.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

A doença da "normalidade" na universidade

Somos todos normóticos em um sistema acadêmico de formação de pesquisadores e de produção de conhecimentos que está doente, e nossa Normose acadêmica tem feito naufragar o pensamento criativo e a iniciativa para o novo em nossas universidades

Doença sempre foi algo associado à anormalidade, à disfunção, a tudo aquilo que foge ao funcionamento regular. Na área médica, a doença é identificada por sintomas específicos que afetam o ser vivo, alterando o seu estado normal de saúde. A saúde, por sua vez, identifica-se como sendo o estado de normalidade de funcionamento do organismo.

Numa analogia com os organismos biológicos, o sociólogo Émile Durkheim também sugeriu como identificar saúde e doença em termos dos fatos sociais: saúde se reconhece pela perfeita adaptação do organismo ao seu meio, ao passo que doença é tudo o que perturba essa adaptação.

Então, ser saudável é ser normal, é ser adaptado, certo? Não necessariamente: apesar de Durkheim, há quem considere que do ponto de vista social, ser normal demais pode também ser patológico, ou pode levar a patologias letais.

Seguir por Email

Seguidores