Bem vindo ao seu portal lusófono de Energia Livre e Ciência Alternativa!
NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK - Curta e divulgue!
NOSSO CANAL NO YOUTUBE - Inscreva-se
SIGA-NOS NO TWEETER @EnergiaLivreBR
Entre em contato com o autor por e-mail
Participe da pesquisa de Energia Livre no grupo.
Para seguir o blog por e-mail, RSS ou Blogger role até o pé da página.
Na aba direita você encontra os links que abrirão as portas do universo da Energia Livre.
Boa viagem!!

terça-feira, 18 de junho de 2013

Motores a gravidade BRASILEIROS!!!

Falamos recentemente, no segundo artigo da série “Lições do Tio Tom”, sobre moto-contínuo. Aproveitando o gancho, temos mais alguns comentários como também algumas novidades no que tange a este assunto.

Particularmente, desde que descobri o universo FE [1] pela internet em 2007, foi inevitável deparar com várias propostas de motores movidos à gravidade. De fato, o diretório Peswiki (para quem ainda não conhece, uma "wikipedia" totalmente dedicada à energia e ciência alternativa, escrita por Sterling Allan, que tem um blog com as últimas notícias do universo FE, cujo feed você pode ver sempre à direta, abaixo do Tesla) está repleto de alegações de motores à gravidade, assim como pelo Youtube afora.

Meu ceticismo à respeito do assunto não me permitiu que eu desse muita atenção aos mesmos. Afinal, ao meu ver, com certeza estes caracterizam-se como moto-contínuos. Ou talvez eu simplesmente não visualizava como a gravidade poderia ser assimetrizada [2] de forma a o sistema ser aberto, ou seja, fazendo com que o campo seja não-conservativo [3]... De qualquer forma, meu bom senso sempre me disse que, se moto-contínuos puramente mecânicos fossem possíveis, alguém com a genialidade de um Bhaskara ou um Da Vinci já teria conseguido à séculos (bem, os dois pelo menos desenharam projetos de moto-contínuo, veja os links) ... Ou será que nem mesmo estes grandes gênios estavam à altura de tal feito?


Assim, me concentrei na pesquisa FE “sabor” eletromagnético, pois, aí sim, parecia que havia algum princípio que estava sendo utilizado, de diferentes formas análogas, por vários inventores, como Ed Gray, Stanley Meyer, John Bedini e, é claro, grandessísimo Nikola Tesla (dispensa links e comentários). Afinal, a mecânica é uma ciência muito mais antiga que a eletrodinâmica, e tomar os modelos eletrodinâmicos como completos pode ter sido um sintoma da arrogância acadêmica frente ao sucesso tecnológico do século XX, a mesma arrogância que fez a academia ignorar Tesla. A mecânica, no entanto, é a mais antiga das ciências físicas, a mãe de todas as outras, e não me parecia mostrar princípios promissores para um sistema OU [1].

Acontece que, no caminho, conheci Murilo Luciano Filho, um senhor mineiro mas morador da capital paulista, 69 anos, que defende arduamente o conceito de um motor movido à gravidade (veja o projeto do Murilo aqui). Após algumas conversas, no entanto, chegamos à conclusão que não teríamos muito como colaborar um com o outro, pois eu continuava cético à respeito, ficando como legado destas conversas, apenas a amizade. Ele não afirma sua máquina ser um moto-contínuo, ele prefere chamar sua máquina de "movimento persistente", bolou inclusive a palavra "mecagenia". Segundo o próprio, o movimento não é perpétuo, um dia vai acabar, pelo desgaste natural das coisas, obviamente. Murilo continua firme na sua busca de apoio, no caso, intelectual: ele deseja que alguém lhe ajude com simulações por computador. Se você tem experiência com simuladores e pode ajudá-lo de alguma forma, pode entrar em contato com Murilo através de seu e-mail.

Recentemente, no entanto, aconteceu algo inesperado. Mais uma iniciativa Brazuca, mas essa de proporções colossais. Três brasileiros, Renato Bastos Ribeiro, Aluizio Merlin Ribeiro e Rogério Merlin Ribeiro fundaram em 2006 uma empresa em Porto Alegre chamada RAR ENERGIA. A empresa investiu um capital absurdo para montagem de um protótipo que alegam será capaz de fornecer 30kW em potência mecânica, que poderá ser acoplada a um gerador de energia elétrica convencional ou a qualquer outro equipamento que se utilize de rotação mecânica. Basta dar uma olhada na foto para ter idéia do tamanho do investimento:


Mais fotos e informações podem ser encontradas no sítio da empresa RAR

Eu fiquei bastante espantado com o tamanho da geringonça... De fato, o próprio Sterling Allan, especialista que acompanha pesquisas FE mundo afora, de todos os tipos e “sabores”, afirma nunca ter visto tanto dinheiro colocado em um protótipo de motor à gravidade. Não é à toa, os caras são ricos, pelo que entendi tem alguma relação ao processamento de soja da empresa Incobrasa. Não satisfeitos com a colossal geringonça em Porto Alegre, eles estão construindo um outro protótipo na cidade de Gilman, Iroquois, nos EUA, para demonstrar para os gringos da Universidade Estadual de Illinois. Nas palavras do próprio Sterling Allan:

"Parece-me que, do ponto de vista da engenharia que existe um exagero sobre a quantidade e força do aço a ser utilizado. Se essa coisa funciona, mas coloca 30 kW, não há como os custos de capital serem competitivos até mesmo com as modalidades de energia renovável mais caras, como solar ou eólica. Mas o maior obstáculo agora é mental, e, talvez, uma demonstração gigantesca como esta deve conseguir finalmente destravar as barreiras mentais" (fonte)

Realmente, haja barreira mental, porque os Ribeiro não tiveram a menor reserva em declarar sua invenção como um moto-contínuo. O professor de engenharia elétrica Peter Sauer, da Universidade de Illinois, diz estar cético a respeito das alegações. Em seu ramo, acostumado com os Megawatts dos geradores termoelétricos e hidrelétricos, esse valor é irrisório (para se ter uma idéia é mais ou menos o suficiente para alimentar duas ou três residências), "mas" - afirma ele - "se alguém conseguir demonstrar 30 kilowatts gratuitos, isto soa como um conceito interessante que nós devemos ouvir à respeito". Renato Ribeiro, por outro lado, dá poucos detalhes, mas diz que esse tipo de tecnologia vem sendo buscada há séculos, então é natural que as pessoas sejam céticas à respeito. Ele promete que a tecnologia vai surpreender muita gente, e diz que já preencheu uma aplicação de patente. (fonte) 

Se a geringonça funcionar, vai ser literalmente um "chute no saco" dos físicos!!! Sinceramente, não faço a menor idéia do princípio de funcionamento da geringonça dos Ribeiro, pois, analizando um pouco a física da situação, ela não funcionaria (em teoria, usando as leis da física tal como são aceitas no mainstream). Não é muito difícil provar, usando até mesmo a física aprendida no ensino médio (peça ajuda ao seu professor), que o campo gravitacional, embora seja facilmente convertido em energia cinética, é um campo conservativo [3]. Em outras palavras, você pode largar um peso de uma altura e captar a energia do seu movimento para realizar trabalho, mas você teve que levantar o peso até aquela altura em primeiro lugar, o que gastou um trabalho igual, e não menor, do que o trabalho que você pode extrair da sua queda. E fazer isto ciclicamente também, em teoria, não lhe renderá nem um microJoule de energia extra.

De fato, muita coisa interessante pode ser dita à respeito da gravidade. Já estamos cavando o buraco da história e preparando para você, leitor, uma exposição específica à respeito. Fique ligado!!!

Atualização: Leia o artigo Sobe a Gravidade
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
[1] Para os recém chegados a este blog, FE é abreviação de Free Energy e OU abreviação de Overunity (os dois termos são praticamente sinônimos). Este artigo explica a diferença entre sistema OU e moto-contínuos.
[2] A simetria está relacionada com as leis de conservação, através do teorema de Noether. Falarameos mais sobre isso ao longo do desenvolvimento desse blog (wikipedia)
[3] O campo gravitacional é conservativo, ou seja, o trabalho realizado pela força gravitacional independe do caminho (se o corpo cai em queda livre ou em um plano inclinado, por exemplo, o trabalho é o mesmo). O conceito de independência de caminho mostra que o trabalho realizado por uma força conservativa em qualquer circuito fechado é sempre igual a zero e que num caminho qualquer só depende dos pontos inicial e final (wikipedia)

18 comentários:

  1. Texto editado no mesmo dia à pedido do Murilo.

    ResponderExcluir
  2. Como prometido, cavamos o buraco da história e escrevemos um artigo sobre a gravidade

    ResponderExcluir
  3. O Motor deve funcionar mesmo. Não creio que os Ribeiro investissem tanto, para ver no final da obra se o motor trabalha !!!

    ResponderExcluir
  4. Usando apenas mecância e gravidade...

    Acho que, ou é fake, ou eles apenas erraram algum cálculo. Mas, sinceramente, isso tá parecendo alguma piada de algum engenheiro da empresa.

    ResponderExcluir
  5. Ha poucos dias atras, em página inteira do jornal CORREIO DO POVO de Porto Alegre (esse jornal era dos Ribeiros e foi vendido ao bispo Edir Macedo), foi publicado em página inteira, propaganda desse motor. Como disse o Anônimo em 18/10/2013, os RIBEIROS não iriam fazer isso a toa.

    ResponderExcluir
  6. No site da rarenergia já funcionou! !!

    ResponderExcluir
  7. segundo o site existe um prototipo menor ja em funcionamento este ai já não é prototipo e sim um motor baseado no prototipo, logo eles nunca aplicaram dinheiro em algo que não foi testado, ja foi testado e aprovado agora eles estão desenvolvendo o projeto que com certeza vai morrer em alguma gaveta ou das multidomeinantes ou do governo.

    ResponderExcluir
  8. Pobres daqueles que acreditam que algumas coisas são impossíveis. Tudo é possível se acreditamos que todo o universo é composto por matéria e que basta sabermos como combinarmos materiais diferentes, substancias diferentes, partículas diferentes que obteremos algo, todo o universo está ai formado, quantos anos? Não sei, mas, garanto que se deus existe e acreditam que ele pode tudo, então tudo é possível, apenas ainda não sabemos tudo.

    ResponderExcluir
  9. Um motocontinuo que funciona à gravidade já foi feito , e funciona .
    Com apenas uma esfera que se movimenta em um trilho circular .
    Portanto é bem provável que este também funcione .

    ResponderExcluir
  10. vocês já viram no you tube os projetos gravitacionais de Antônio Claret. Motor Gravitacional horizontal Elétrico, e modelos Hidrogravi ( torque Flutuante)?

    ResponderExcluir
  11. TORÇO PARA QUE TUDO VENHA A TONA O QUANTO ANTES

    ResponderExcluir
  12. Isso é fake. Há perdas por atrito e por isso a eficiência é sempre menor do que 1.0.

    ResponderExcluir
  13. Senhores, vejam isso. A frase de Tesla parece esta se tornando verdade:

    http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=motor-espacial-quantico&id=010130140805#.VkTvzberSig

    ResponderExcluir
  14. gravidade pucha para baixo e então temos uflutuação empurra para cima então temos duas forças comtrarias que podem ser desiquilibradas desiquilibrio de forças movimento uze a imaginação

    ResponderExcluir
  15. gravidade pucha para baixo e flutuação para cima duas forças contrarias que podem ser desiquilibradas desquilibrio de forças,gera movimento uze a imaginação

    ResponderExcluir
  16. Gravidade fas força para baixo e flutuação para cima temos duas foças opostas,podendo serem desiquilibradas produzindo movimeto, use a imaginação

    ResponderExcluir
  17. Bem, vamos lá:Convido os usuários, a ACOMPANHAREM a minha argumentação, do porque de ser IMPOSSÍVEL, hoje e SEMPRE, que um moto contínuo desses, seja inventado.Suponhamos, para INICIAR a conversa, que o PRODÍGIO, o MILAGRE aconteceu, que alguém, em algum lugar do planeta, tem um moto contínuo, GENUÍNO, que funciona, que PRODUZ energia a partir DO NADA.Se esse início, tremendamente impossível, for conseguido, todo o resto, iria ser moleza:Poderíamos, SEM VIOLAR NENHUMA LEI FÍSICA, transformar a ENERGIA produzida, em matéria, como fazem os aceleradores de partículas, que transformam ENERGIA ELÉTRICA, em partículas sub atômicas, no momento das colisões, que acontecem dentro de tal aparelho.Essa matéria, poderia, sem problemas, ser transformada, em PEÇAS DE OUTRAS MÁQUINAS DE MOTO CONTÍNUO. Assim, um moto contínuo, produziria outro, dois produzem quatro, que produzem oito e assim por diante, em uma " reação em cadeia ", de crescimento exponencial, de maneira cada vez mais rápida.A Terra, iria ficar ENTUPIDA desses maquinismos, em pouco tempo.Se não fosse a barreira das DISTÂNCIAS entre os corpos celestes, TODO O UNIVERSO NATURAL, ficaria submerso,COMPLETAMENTE AFOGADO, nesse FEIO Universo artificial, que se expandiria sem parar, com velocidade crescente.Ora, aqueles que acreditam no mitológico Deus, veriam que existiram fortes analogias, pois, por definição, Deus criou o Universo do NADA.SE UMA máquina dessas fosse possível, poderíamos criar, DO NADA, todo um universo artificial,composto por zilhões de máquinas de moto contínuo, que NUNCA pararia de crescer.Esse, é o TAMANHO DO ABSURDO, embutido nessa " invenção"

    ResponderExcluir
  18. TIBURTINO...vocé fala de uma forma muito despectiva , sempre haberá quien tente por a funcionar um destes motores, gente habilidosa e com conhecimentos , igual a vocé...veja bem...nadie ha tentado nem vai tentar fazer um motor sem tirar energia de algum lugar o forma....todos tiram energia de algum lugar, que nao seja compensatorio nem funcione como pretendido e outra coisa....abrazos e vamos em frente..que atras vem Tiburtino...kkkkkk.

    ResponderExcluir

Seguir por Email

Seguidores