Bem vindo ao seu portal lusófono de Energia Livre e Ciência Alternativa!
NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK - Curta e divulgue!
NOSSO CANAL NO YOUTUBE - Inscreva-se
SIGA-NOS NO TWEETER @EnergiaLivreBR
Entre em contato com o autor por e-mail
Participe da pesquisa de Energia Livre no grupo.
Para seguir o blog por e-mail, RSS ou Blogger role até o pé da página.
Na aba direita você encontra os links que abrirão as portas do universo da Energia Livre.
Boa viagem!!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Medicar para controlar


Já vinhamos criticando a psiquiatria, ciência que vem abusando de suas "certezas" com o risco de criar uma geração de viciados em suas drogas sintéticas. Esta ciência revela-se extremamente preconceituosa ao categorizar as pessoas de acordo com um suposto comportamento dito "normal", e assim tolhe a liberdade de cada um ser o que é. Compartilhamos aqui uma excelente entrevista da Revista Fórum sobre o assunto.

Medicar para controlar

“Fórum Sobre Medicalização da Educação e Sociedade” exalta a importância de questionamentos e discussões sobre os diagnósticos precoces e massivos dentro das escolas e propõe a valorização da diversidade humana

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Ignis - O Projeto de Energia Livre Open Source da juventude brasileira

Caros leitores,


Recentemente entrei em contato com o Diego Sangiorgi, e temos trocado algumas idéias acerca do Projeto Ignis. O Ignis é bastante complexo, mistura giroscópios, bobinas com campos eletromagnéticos de geometrias exóticas, conceitos fullerianos de sintropia, tensegridade, biomimética e o vector equilibrium, a dinâmica do Torus, motores pulsados (como é o caso do Keppe Motor e do Bedini) e ressonância. É um projeto colaborativo, Open Source e com financiamento coletivo através do Catarse. O Diego é um jovem de extrema inteligência e talento, e me parece uma pessoa honesta e muito bem intencionada. CONTRIBUA AQUI.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

A doença da "normalidade" na universidade

Somos todos normóticos em um sistema acadêmico de formação de pesquisadores e de produção de conhecimentos que está doente, e nossa Normose acadêmica tem feito naufragar o pensamento criativo e a iniciativa para o novo em nossas universidades

Doença sempre foi algo associado à anormalidade, à disfunção, a tudo aquilo que foge ao funcionamento regular. Na área médica, a doença é identificada por sintomas específicos que afetam o ser vivo, alterando o seu estado normal de saúde. A saúde, por sua vez, identifica-se como sendo o estado de normalidade de funcionamento do organismo.

Numa analogia com os organismos biológicos, o sociólogo Émile Durkheim também sugeriu como identificar saúde e doença em termos dos fatos sociais: saúde se reconhece pela perfeita adaptação do organismo ao seu meio, ao passo que doença é tudo o que perturba essa adaptação.

Então, ser saudável é ser normal, é ser adaptado, certo? Não necessariamente: apesar de Durkheim, há quem considere que do ponto de vista social, ser normal demais pode também ser patológico, ou pode levar a patologias letais.

domingo, 22 de junho de 2014

William Skinner 1939 - parte 1

Começaremos a falar hoje sobre uma velha máquina gravitacional, artigo em várias partes. Primeiramente, apresentaremos um artigo publicado em jornal.

Força da Gravidade usada para aumentar a potência de motores

 


Tradução abaixo:


sexta-feira, 23 de maio de 2014

Ponto Zero agora no tweeter

Em um mundo 100% conectado 24 por 7, eu hesitei muito tempo para aderir a esse tal de tweeter. Excesso de conectividade distrai e tira o foco, e o tweeter até então me parecia desnecessário. Mas recentemente, com esse QEG senti necessidade de compartilhar pensamentos e impressões à prestação, ao invés de fazer longas pesquisas, compilar um monte de informações para depois escrever um texto longo. Infelizmente o usuário PontoZero não estava disponível, então, se você tem tweeter, siga @EnergiaLivreBr.

sábado, 17 de maio de 2014

Agradecimento e comentário sobre a FISL15

Gostaria de agradecer ao Thomas Soares, agora membro integrante do Instituto Tesla, pela menção a este blog aos 1:48 da palestra na FISL15:




Fico feliz por ser citado como "um cidadão bem inteirado". Isso mesmo não podendo escrever sobre um terço do que pesquisei, mas ainda assim atingi o objetivo, de tornar-me referência no assunto em língua portuguesa. Não sei nem se mereci de fato tal honra, visto o fato de que na parte experimental (e talvez até mesmo nas profundezas da teoria) estou bem aquém de Thomas Soares, Boris Petrovic e cia, quanto mais dos colegas da gringolândia. 

sexta-feira, 16 de maio de 2014

A tecnologia contra o capitalismo

Multiplicam-se ferramentas que libertam seres humanos das empresas, ao permitir que produzam em colaboração direta. Quais são? Como sistema tenta sabotá-las? 

Por Ricardo Abramovay (Publicado no Valor Econômico em 13/5/14)
Resenha de The Zero Marginal Cost Society- The Internet Things, the Collaborative Commons, and the Eclipse of Capitalism ["A Sociedade de Custo Marginal Zero: a Internet das coisas. os Commons Colaborativos e o Eclipse do Capitalismo" , de Jeremy Rifkin. Palgrave MacMillan. 368 págs., US$ 20,97
--
O livro de Jeremy Rifkin [ver referência acima] é uma ambiciosa tentativa de formular nova narrativa para a utopia que desabou junto com o muro de Berlim, em 1989. Sua profecia mais ousada é que o capitalismo entrará em irreversível declínio ao longo das próximas três décadas. Ele não será substituído por aquilo que costuma ser considerado seu oposto, ou seja, a propriedade estatal dos grandes meios de produção e troca, orientada pelo planejamento central.
Seu declínio não passará tampouco por mãos hostis, por processos de expropriação ou por eventos épicos como a tomada do Palácio de Inverno. Na verdade, o eclipse do capitalismo já está desenhado e decorrerá do avanço simultâneo da 00 e da economia colaborativa.

leia mais

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Demonstração de COP 20 na Conferência Bedini-Lindemann 2014

Chega de teoria! Está sendo anunciada para a conferência Bedini-Lindemann 2014 a demonstração de um conversor de potência reativa em potência real capaz de apresentar COP de 20, por Jim Muray e Paul Babcock.
Para aqueles que tiverem recursos para conferir, seria talvez uma maneira definitiva de tirar a pulga de trás da orelha... Bem, se eu pudesse, iria. Mas como sempre, fica para depois.

sábado, 19 de abril de 2014

A hora da lucidez - o QEG e o desdobramento final da revolução FE



Estamos vivendo nesse exato momento um boom no movimento FE (Free Energy - Energia Livre) e este autor resolveu que era necessário se manifestar, após tanto tempo de silêncio. Neste exato momento, estamos, na minha opinião, caminhando para dois possíveis resultados fatais e diametralmente opostos: ou teremos o triunfo definitivo do movimento ou a desmoralização definitiva (considerando que ainda por cima, por ser uma "heresia" científica total, o movimento FE nunca teve tanto espaço). Os que acompanham mais de perto as notícias deste universo já devem prever do que estou falando. Uma organização denominada Fix The World ("Conserte o mundo" - na verdade é uma família, encabeçada midiaticamente pela filha que adota o nick HopeGirl) viralizou os planos de um "Gerador Quântico" (QEG - Quantum Energy Generator) open source supostamente capaz de gerar alguns kilowatts suficientes para alimentar uma casa e operar auto-alimentado (closed loop).

Os mais politicamente motivados, aqueles que enxergam a revolução que a realidade FE traria ao mundo (se, ao final, for provado ser real), sempre ansiaram por uma invenção que fosse completamente open source, que fosse abertamente replicada e fabricada por qualquer um que se dispusesse a investir. Pois é, esse momento chegou... Mas será?

segunda-feira, 10 de março de 2014

Cientistas escravizam pós-graduandos e obstruem a ciência, diz Nobel de Medicina de 2002

As novas ideias na ciência são obstruídas por burocratas do financiamento de pesquisas e por professores que impedem seus alunos de pós-graduação de seguirem suas próprias propostas de investigação. E há revistas de artigos científicos que estão corrompendo a ciência, pois empregam editores que não passam de cientistas fracassados que atuam de modo semelhante ao dos agentes do Departamento de Segurança Interna dos EUA e são pequenos ladrões do trabalho alheio. Quem diz isso é um do maiores nomes da biologia molecular, o sul-africano Sydney Brenner, de 87 anos, ganhador do Prêmio Nobel de Medicina de 2002, em uma entrevista publicada em 24 de fevereiro pela revista eletrônica The Kings’s Review, do King’s College da Universidade de Cambridge, no Reino Unido.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Cientistas Russos demonstram transmissão de eletricidade ressonante com apenas um fio

Bem, custou para achar uma versão do vídeo que a legenda estivesse clara, e custou para traduzir pois mesmo a tradução para o inglês não está lá estas coisas... Mas aí vai o vídeo e a tradução abaixo do mesmo:




AS CURAS PARA O CÂNCER SUPRIMIDAS NO SÉCULO XX

"Quando o dinheiro entra pela porta, a ciência sai pela janela" (Royal Raymond Rife)

O poder da ciência mainstream em ser anti-científica é absurdo. Tantas CURAS PARA O CÂNCER SUPRIMIDAS ao longo do século XX. E, ao invés de se analisar os dados sem de forma neutra, a política e o poder da indústria farmacêutica sempre prevalesce...

Indicamos aqui dois documentários, ambos em inglês, na esperança que algum dos nossos leitores possa contribuir na tradução dos mesmos, pois é necessário que cada vez mais pessoas tenham acesso a este tipo de informação, pois SOMOS TODOS VÍTIMAS DO STABLISHMENT CIENTÍFICO!

1o documentário: As Curas Proibidas Para o Câncer

2o documentário (Royal Raymond Rife): A História Esquecida de Royal Raymond Rife

Seguir por Email

Seguidores